I – Intro

 

IMG_0197
“He made it to the ocean had a smoke in a tree
The wind rose up set him down on his knee
A wave came crashing like a fist to the jaw
Delivered him wings ‘Hey look at me now’
Arms wide open with the sea as his floor (…)
He floated back down 'cause he wanted to share
His key to the locks on the chains he saw everywhere (…)
And he still gives his love, he just gives it away
The love he receives is the love that is saved
And sometimes is seen a strange spot in the sky
A human being that was given to fly”     Eddie

The decision to start this blog relates to a significant change in my life over the past few months. This blog is to be a tool, an outlet of all that has been going on since my epiphany and let my friends know where they stand with me from now on.

I have been reading and discussing a lot (specially with Catarina) about all these changes and developed a strong feeling to keep a record of where I was, where I’ve been, where I am and where I want to be and writing seems the way to go.

I do this not only for me but for the people I care about and my friends in the antipodes. Mainly for them to be honest, so they don’t get too shocked the next time we meet – I want to tell them now that I have seen ‘the light’ and this blog is one way to share it.

I will always endeavour to write in the first person because I do not like to talk on behalf of anyone else. But know that I know how lucky I am to have my dear Catarina by my side, sharing the same vision. In fact she was the one who introduced me to this philosophy/way of living.

The decision to write in English was made because I am fortunate enough to have made friends who are ‘English-only-communicators’ (though K. does speak an amazing Spanish), that would struggle to get google translator decipher some of the Portuguese language peculiarities. All my Portuguese friends speak very good English. Besides the keyboard I use doesn’t have any ‘acentos’ or is it ‘assentos’?

I have been writing a lot since the start of the year as it allows me to organise my ideas better and express them more coherently. It has helped my personal growth immensely. It has forced me to associate and think more, on all that is happening around me due the information I’ve been gathering and the changes in my habits and desires.

The fact that I have been reading more from the experience of others (Leo Babauta and The Minimalists)  hasn’t hurt either – if any of my words look significantly similar to theirs, it’s not a coincidence.

 

I am convinced that I have been introduced to a way to live a more meaningful, significant and happy life – I’ve even been accused of joining a cult, such has been the change noticed in my actions and words. The means to accomplish it was presented to me by Catarina (an incredible woman and one of my role-models), in December 2015.

This movement/life philosophy is called Minimalism (ALL HAIL – private joke) and defends that you can be happier with less. It takes a lot of work but in the short time I have been dedicated to it, I already feel a huge difference.

There are lot of clichés throughout these wanderings of mine, but try to keep an open mind and take them in at their meaning (and my interpretation of them) and not judge. Anyway, you’ll know more about what I have been learning and implementing with regards to habits, relationships, health, anchors, personal growth, passions and contribution – we can take it from there.

If, based on this introduction, you’re fearful or worried for your friend’s mental health then I’m happy because you care. And honestly, looking back over the changes I decided to make in my life over the past few months, I get a bit incredulous as well – but no regrets whatsoever because the results have been splendid so far. Wait, I lie, I regret not starting sooner. But again, it could’ve been a lot later or never at all.

Anyway, I hope you can take something away from my words and also add some of your own. I need your challenging comments to carry on down this path  – looking forward to walk it with you.

Diogo

(03/02/2016)

Advertisements

6 thoughts on “I – Intro

  1. Amigo Diogo! Espero que estejas bem (quersedizer melhor!) e que a grande Cat e as lindas miúdas estejam em grande!
    Vou postar em PT, sobretudo porque os teus amigos que se expressam numa língua diferente não entendem o conceito de amizade que existe entre nós (e outros maricas) que desenvolvemos contigo uma caminhada marcante, e de alguma forma, também, minimalista. Consequentemente, assim em PT, já poderemos ser fiéis a nós mesmos, sem grande receio de estar a expor ou ferir alguma susceptibilidade. Por outro lado, servirá para te ires confrontando com a língua PT, pois receio que possas achá-la dispensável, que te esteja a ocupar espaço no intelecto e estejas a pensar vendê-la, ou doá-la, etc;
    Antes de mais, vocês conhecem-me e sabem que estarei convosco naquilo que são as vossas escolhas… sempre e com orgulho!
    Mas, efectivamente a primeira preocupação foi com a mental health… o que é que se passa com os meus amigos??? Entretanto li os restantes posts, e vi que se trata de um assunto vincado e sério, de tal forma que originou este blog, que me parece ser inspirador e educacional. Assim, estarei atento a acompanhar-vos, ansioso por vos descobrir melhor nesta vossa visão. Amo-vos como família!
    Agora, só para o mano Diogo:
    Se eu te viesse com esta conversa, sabes o que é que me ias dizer!? Dirias: Tás armado em paneleiro! Ya, estás-te a rir, porque estás a reconhecer para ti mesmo que seria mesmo assim. Puto, minimalista, acho bem, também estava a precisar sabes, até porque a minha cara-metade é maximalista, está sempre a comprar tralhas, de tal forma que acho que já não tenho espaço numa casa de 400 m2… Olha lá, o minimalista também se aplica ao que (não) vestem?… por momentos fiquei com receio que estivessem a recriar o neo-adamita, mas claro que não, é uma visão mais prática e não facciosa da coisa, para meu descanso (sobretudo por causa das miúdas!!!). É assim mesmo miúdo, vende as cenas todas que não te fazem falta, a camisola vermelha com a roda de bicicleta e o pintainho rendeu algum dinheiro, ou foi lixo direto? Por muito que a tentasses lavar já tinha um cheiro entranhado que não dava hipótese. Gostei sobretudo das 42 peças no roupeiro, com perspectiva de ainda conseguires reduzir mais. Ora bem, por um lado revela uma perspectiva “einesteiniana”, o homem é que tinha no roupeiro as peças de roupa todas iguais para não perder tempo a escolher, por outro lado atenção aos mínimos né, ser minimalista não implica que cheires mal, ou será que afinal queres mesmo é andar nu???
    Lots of love… and respect!!!
    Saudades…

    Liked by 1 person

    1. Puto, antes de mais nada. Muito obrigado pelo comentario. Espero que continues a ler e a responder, porque eu preciso disso. Ajudas-me e muito!!

      Em relacao aos pontos que levantas digo assim, digassim, digassim:
      Gostei muito dos “diferentes conceitos de amizade” e da “nossa caminhada marcante, tb ela minimalista” – a nossa com os nossos. Eh verdade, e realmente jah tinha pensado muito nessa questao da amizade. Nao tanto em termos de ‘diferentes conceitos’ mas mais em termos de ‘diferentes profundidades’. O quao ‘fundo’ estahs disposto a dar e receber. E a altura em que nohs comecahmos o nosso percurso foi perfeito – se tivesse sido mais cedo nao estariamos onde estamos hoje e mais tarde provavelment tb nao.

      Quanto mais novos somos, menos receios temos em dar e a profundidade torna-se maior. Ah medida k crescemos ficamos mais calejados, mais receosos em nos expor e logo as novas relacoes tornam-se inevitavelmente mais superficiais. No entanto te digo, nestas deambulacoes por este mundo jah conheci pessoas k chamo de amigos e k se tu com elas estivesses, tanto tempo como eu estive, tambem chamarias. Nao tenho duvidas. Mas nao, nao conheco as maes deles!

      Quanto ah lingua materna nada temas porque eh impossivel nao fazer parte de nohs, utilizamo-la todos os dias e eh indispensavel para sermos quem somos. Na nossa casa soh se fala em PT (a nao ser k tenhamos convidados que nao falam a lingua de Camoes). As minhas filhas, que alem de australianas sao portuguesas, tem de saber a lingua dos pais e conseguir comunicar com os avohs. Mais, nao acredito que o conhecimento (cientifico, cultural, humano) deva ser minimisado, antes pelo contrario.

      Em relacao ah situacao hipotetica de seres tu a confrontar-me com esta mudanca na tua vida, digo-te que se fosse ha uns meses atras, entao sim chamava-te nomes e dir-te-ia k tinhas perdido a cabeca. Se amanha me apareceres com uma mudanca/ ideia radical na tua vida, prometo-te k nao te julgarei e estarei atento ao k me tens a dizer ateh conseguir interiorizar qual a necessidade k te move. Vou-te fazer peerguntas e depois de te conseguir perceber, entao sim… vou gozar, caralho!

      Nao te procupes puto, toda a gente anda de roupa lavada cah em casa. Eu continuo a cheirar mal, mas ha coisas k nao mudam. As camisolas encarnadas continuam no armario, nao me quero desfazer delas pk me trazem alegria (embora ahs vezes soh me apeteca queima-las), mas isso da roupa e da tralha k temos eh apenas o inicio.

      Daquilo k tenho aprendido eh k esta practica faz-se com mudancas de habitos e pekenas experiencias. Privares-te de algo que consideras essencial para a tua vida durante um periodo de tempo e depois veres o quao essencial essa coisa realmente era.
      Um bom artigo em relacao a uma experiencia com o teu guarda-roupa: Project 333. Basicamente viveres com 33 pecas de roupa durante 3 meses. Achas que consegues? 😉

      Vou continuar a escrever para k possas conhecer o nosso percurso e talvez, quica, implementar algumas dicas. Eu certamente continuo ah espera das tuas.

      Amo-te puto. Amo a tua familia que tb eh minha.
      Saudades e muitas!!

      Like

  2. Olá meus queridos!

    Enquanto fellow blogger sei que, por vezes, o feedback é importante 🙂 por isso escrevo para vos dizer que acabaram de ganhar mais uma seguidora aqui nos antípodas.

    Gostei tanto de ler os vossos posts (já li tudo!) e acho que não vou conseguir explicar o quanto veio a propósito.

    Relativamente às “coisas”, sei bem que tenho muitas coisas que – eu penso que – me fazem “feliz” 🙂 Mas também sei que é libertador quando nos livramos delas. É uma questão de tempo, às vezes é só difícil vencer a inércia, mas eventualmente chega o sentimento de Freeeedom_à_Braveheart, porque realmente nunca mais na vida ia caber naquelas calças.

    A verdade é que nunca me dediquei muito a pesquisar sobre este assunto mas todos os dias o meu inner minimalist pensa sobre ele, e em como é importante imprimir mudança nos comportamentos. Isto tem acontecido principalmente quando vejo como as pessoas à minha volta educam os miúdos. As festas de aniversário megalómanas, as montanhas de presentes, os 50 convidados, o cake design! Para onde foram as celebrações familiares em casa, com meia dúzia de amigos, pastéis de bacalhau, gelatina e o bolo feito pela mãe com um boneco de PVC a enfeitar?
    Às vezes parece que isso deixou de ser suficiente, mas lembro-me que isso me trazia felicidade quando era miúda. Isso e contar carros com o meu pai.

    Desejo-vos muita alegria e persistência na vossa demanda.
    Cá estarei atenta ao blog, uma lufada de ar fresco e de inspiração.

    Muitos abraços e beijos, e muito vento no cabelo.

    Liked by 1 person

    1. Xanocas, it’s so good to hear from you.
      And it’s so true, what you just wrote. We and our children can be so happy with so little. I also remember the birthday parties like that and a few other simple things that made me so happy.
      As you have this great passion for traveling, I’m going to suggest you a blog called :”Exile Lifestyle” by Colin Wright.
      He is a traveller and also a minimalist and his lifestyle is very interesting. I think you will enjoy it. http://exilelifestyle.com/about/
      Beijinho enorme com muitas saudades.

      Like

  3. Carriço almocei hoje com o André e fui direcionado para este blog. Fico muito feliz por saber que conseguiram tomar conta das rédeas da vossa vida, algo que todos nós tanto desejam mas no fundo muitos de nós tanto temem (incluindo eu). Fiquei bastante bem impressionado com a qualidade do vosso blog! Estás feito um senhor escritor. Aproveito também para vos dar os parabéns pelo sucesso como pais de dois (future three) lindos filhotes. Sem dúvida que o vosso exemplo é inspirador e dá que pensar. Vou partilhar o vosso blog por mais pessoas que espero saibam aproveitar os vossos sábios conselhos.
    Um grande abraço para toda a família daqui de Portugal.

    Liked by 1 person

    1. Olá Bastos!
      Obrigado pelas tuas palavras!! São muito bem recebidas e sentidas!! Espero que tires valor das nossas e que vás comentando e questionando, que é assim que vamos aprendendo!!
      Grande abraço!!

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s