M.I. (I) – Definições

Com o intuito de não haver qualquer ambiguidade (bem sei que tal não será possível mas ainda assim vou tentar), é de todo pertinente que defina determinadas expressões que vou usando ao longo das minhas “Manifestações Idealistas”. Saliento que podem não ter os mesmos significados que vais encontrar num dicionário da língua portuguesa, mas é às definições abaixo que me refiro quando tais palavras/expressões uso.

É minha intenção ir actualizando esta lista, assim como “ligar” este documento a ensaios futuros em que estas definições se apliquem.

 

 

Liberalismo / Liberal

Representantes da esquerda moderada.

Nos EUA e Reino Unido, o liberalismo define-se como estando situado à esquerda do centro político. Já na Austrália e Europa continental, encontra-se à direita.

Nas minhas deambulações, referências a Liberalismo e Liberal vão ao encontro daquilo que se entende como tal nos EUA e Reino Unido… à esquerda.

 

Progressismo / Progressista

Define-se como “Reforma Social”. É considerado sinónimo de Liberal pelas várias reformas de centro-esquerda que em muito melhoraram a nossa condição nas últimas décadas (i.e. Direitos Civis; Emancipação feminina e dos homossexuais; Leis anti-discriminação racial, sexual, religiosa, deficiências, idade, etc.).

Tal como o termo Liberal, a Esquerda usurpou a palavra Progressista de forma a monopolizar o seu significado (com uma conotação legitimamente e merecidamente positiva), para melhor esconder a sua agenda regressiva e manifestamente intolerante, com uma máscara de virtude.

 

Conservadores

Representantes da direita moderada.

Nos EUA temos os Democratas (Liberais) /Republicanos (Conservadores); em Inglaterra os Trabalhadores/Conservadores; em Portugal temos o PS / … hum, sinceramente não sei qual é a direita moderada no “Tuga” (diz quem o representa que o PSD não é, nem nunca foi, um partido de direita), mas continuemos.

 

Esquerda / Esquerdista

De forma sucinta uso os termos Esquerda e Esquerdista para me referir à extrema-esquerda e aos membros dessa ideologia detestável e repreensível.

 

Cultura

Conjunto de valores partilhados.

 

Civilização Ocidental / Cultura Ocidental

  • Termo amplo que abrange a herança de normas sociais, valores éticos; costumes e tradições; sistema de crenças (Judeo-cristãs principalmente); e sistemas políticos que tiveram origem ou estão associados com a Europa;
  • Conjunto de valores como: Liberdade de Expressão; Democracia; Valor do indivíduo como infinitamente precioso; Estado de Direito; Propriedade Privada.

 

Ocidente

Conjunto de países que partilham da cultura e civilização ocidental – estes países incluem Canadá; EUA; maioria da América do Sul; Japão; Coreia do Sul; Austrália; Nova Zelândia e Europa Ocidental.

Esta não é uma definição fácil, especialmente tendo em conta as dimensões Culturais, Políticas e Económicas de cada país pertencente ao Ocidente. No entanto, de acordo com todos os indicadores disponíveis, os países ocidentais são os mais desenvolvidos no mundo em termos de riqueza, qualidade de vida e liberdades civis.

 

 

Mais uma vez, estas definições não são universais, mas são aquelas que descrevem aquilo que quero dizer.

definicao.png

Advertisements

6 thoughts on “M.I. (I) – Definições

  1. Uma nota sobre “Conservadores” em Portugal: concordo com a definição directa que fazes – direita moderada. No entanto, esse espaço político não é ocupado pelo PS. Digamos que o PS representa uma esquerda muito moderada ou o chamado centro esquerda, estando o PSD no centro direita muito moderada. PS e PSD são o centrão, havendo pouca diferença nas suas políticas e pensamentos.
    Eu diria que a direita moderada é ocupada pelo CDS-PP. Surgiram recentemente alguns partidos que poderão ocupar esse espaço, como o Aliança e a Iniciativa Liberal, mas ainda se conhece pouco de ambos.
    Em Portugal há algum medo ou vergonha por se assumir ser de direita ou defensor dos princípios de direita, ao passo que se é muito bem visto ser-se de esquerda. Alguns resíduos da ditadura não foram bem tratados e acabamos por viver num país onde quase todos são do centro esquerda. Não sei se causa ou se efeito, a comunicação social é largamente controlada por gente de esquerda e da extrema esquerda – Antena 1, Diário de Notícias, TSF, RTP, etc. Os jornalistas de referência e outros pessoas de renome que constroem opinião, são também eles na sua maioria assumidamente de esquerda. É profundamente irritante a posição e o discurso que certos partidos de extrema esquerda fazem sobre quem não pensa exatamente como eles, sendo que o mesmo não se passa do outro lado, mas que devia!
    Estou em crer, que este paradigma está a mudar de forma suave; basta ver o surgimento de jornais assumidamente de centro direita, como o Observador (jornal online e agora também rádio), como a ênfase que houve com o discurso do 10 de Julho do João Miguel Tavares, que muitos esquerdistas invejaram ter escrito. Esse discurso pode ter dado inicio ao fim do estigma que só na esquerda há gente esclarecida e com pensamento.
    Penso que faria bem ao nosso país, estas forças de esquerda e direita (moderadas) estarem equilibradas. Teríamos uma sociedade mais justa, mais esclarecida.

    Liked by 2 people

    1. Li o discurso, fiquei agradavelmente surpreendido e discuti-o com amigos. As palavras dele, são em parte responsáveis por ter criado este espaço mais cedo que planeado!!

      “Resíduos da ditadura” 👌 muito bom!!

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s